Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Depoimento: ‘Laudo Natel, capacidade administrativa e política’

Ex-governador de São Paulo morreu nesta segunda-feira aos 99 anos

Luiz Carlos Trabuco Cappi*, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2020 | 18h37

Com profundo sentimento de pesar, o Bradesco perde hoje, com o falecimento do estimado Laudo Natel, aos 99 anos, um dos principais construtores da nossa história e um dos grandes símbolos da nossa Organização. Logo em 1943, na data de nascimento do Bradesco, Natel tornou-se um dos nossos pioneiros, após ter sido colega no Banco Noroeste e tornar-se grande amigo do nosso fundador Amador Aguiar. Igualmente foi parceiro de toda uma vida do saudoso Lázaro de Mello de Brandão, de quem a proximidade o fez ser padrinho de casamento. Até pouco antes de nos deixar, Natel comparecia à sede do banco todas as semanas, compartilhando sua simpatia e dividindo generosamente conosco a sua grande experiência de vida.

Com sua serenidade e elegância, esse filho ilustre da cidade de São Manuel descreveu uma das mais exitosas biografias do nosso tempo. No Bradesco, desbravou o interior do Estado de São Paulo na fundação de agências, bancarização da população e dando suporte às atividades da indústria, agricultura, comércio e serviços. Sempre com brilho, realizou um trabalho incansável, que ajudou a forjar a pujança da nossa Organização em pari passu com o crescimento econômico de São Paulo. 

A trajetória de Natel numa vida inteira de dedicação ao trabalho e às suas grandes paixões foi amplamente reconhecida. Ele tornou-se muito cedo diretor da nossa Organização e, atendendo a um chamado do coração, dedicou-se com igual talento ao seu amado São Paulo Futebol Clube, a partir dos anos 1950. Ali, modernizou as atividades, reerguendo suas finanças, dando início e completando a maior obra daquela agremiação, o majestoso estádio do Morumbi.

Em reconhecimento a tantas vitórias pessoais e coletivas que ele protagonizou, Laudo Natel foi por duas vezes, nos anos de 1960 e 1970, governador de São Paulo, lançando mão de toda a sua capacidade política e administrativa para promover o desenvolvimento social e econômico da terra em que nasceu, cresceu e tanto dedicou o seu melhor, durante toda a sua vida.

O Laudo Natel que nos deixa escreveu uma biografia ilibada com letras de ouro, destacando-se pelo caráter nobre e fina elegância em todas as suas atividades.

À família, em especial, aos seus colegas e amigos do Bradesco e a seus incontáveis admiradores, a nossa mais profunda solidariedade.

Descanse em paz, campeão Laudo Natel!

* PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO BRADESCO

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.