DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

'Depoimento de Palocci indica que PT se adaptou a tudo que sempre combatou', diz Chico Alencar

Deputado deixou o PT para fundar o PSOL em 2005; ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda dos governos Lula e Dilma incriminou os petistas em depoimento a Sérgio Moro

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2017 | 21h21

BRASÍLIA - Ex-integrante do PT, o deputado Chico Alencar (Psol-RJ) avaliou nesta quarta-feira que o depoimento do ex-ministro Antonio Palocci incriminando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva indica que o PT se adaptou a tudo que sempre combateu. Para Alencar, Palocci, ex-ministro dos governos Lula e Dilma Rousseff, não pode ser acusado de perseguir a própria legenda a qual é filiado.

"O que Palocci começou a dizer indica que o partido, de ideais originais tão transformadores, adaptou-se a tudo o que sempre combateu. Palocci, peça central nos governos Lula e Dilma, não pode ser acusado de perseguir seu partido e companheiros. Será que nem assim o PT se disporá a reconhecer graves desvios e fazer autocrítica?", afirmou o parlamentar fluminense, ao comentar depoimento do ex-ministro.

Palocci incriminou Lula durante depoimento nesta quarta-feira, 6, ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na primeira instância. O ex-ministro da Fazenda de Lula disse que o ex-presidente avalizou pagamento de R$ 300 milhões em propina ao PT pela construtora Odebrecht entre o final de seu governo e os primeiros anos do governo Dilma. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.