Depoimento de Lyra piora situação de Renan, diz Tuma

O empresário e ex-deputado-federal João Lyra, presidente do PTB em Alagoas, confirmou hoje ao corregedor do Senado, Romeu Tuma (DEM-SP), as denúncias que fez contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), em entrevista à revista Veja. Para Tuma, a confirmação da denúncia da Veja por Lyra, agora consubstanciada dos recibos e demais documentos referentes à compra dos veículos de comunicação, agrava ainda mais a situação de Renan. Lyra acusa Renan de ter participado com ele de uma "sociedade secreta" para a compra de duas emissoras de rádio e de um jornal, em Maceió. Os veículos de comunicação teriam sido comprados pelos dois dos empresários Nazário Pimentel e Luiz Carlos Barreto, por R$ 1,3 milhão. Segundo Lyra, ele teria entrado com R$ 650 mil e Renan com a outra metade.Lyra não quis conceder entrevista, mas o senador Romeu Tuma fez um balaço da audiência. Segundo ele, João Lyra não só confirmou as denúncias como apresentou documentos, mas nenhum com a assinatura de Renan. Todos os recibos comprovando a suposta sociedade secreta foram assinados por Tito Uchoa, que é primo e assessor de Renan.O senador Renan Calheiros já responde a mais dois processos na Corregedoria do Senado, um em que é acusado de recebido ajuda de um lobista da Mendes Júnior para pagar despesas pessoais e outro sobre a venda superfaturada de uma fábrica de refrigerantes em Murici, cidade natal de Renan, em Alagoas, para o Grupo Schincariol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.