Depoimento de Bastos divide governistas e oposição

O longo depoimento do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que já dura mais de 7 horas, divide as opiniões dos governistas e oposicionistas, que já chegaram a brigar na sessão que acontece na Comissão de Constituição e Justiça.Para os deputados da base governista, Thomaz Bastos encerrou as suspeitas sobre o seu envolvimento na quebra ilegal do sigilo do caseiro Francenildo Costa. Já a oposição exige a demissão do ministro, já que ele teria perdido a credibilidade.O líder do PSDB, deputado Jutahy Junior (BA), classificou, em entrevista à Agência Câmara, a quebra de sigilo do caseiro como uma operação do governo para proteger o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci. Ele está convencido do envolvimento de Thomaz Bastos no caso.Para o vice-líder do PT, José Eduardo Cardozo (SP), o ministro da Justiça mostrou que ele não tem envolvimento no caso.O líder do PFL, Rodrigo Maia (RJ), afirmou que o ministro não respondeu as suas perguntas e cobrou uma posição do Conselho de Ética da República. Segundo Maia, Bastos feriu a ética por indicar um advogado privado ao ministro da Fazenda.O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), atribuiu o acirramento dos ânimos à disputa eleitoral. Ele acredita que a oposição tenta criar fatos políticos para ganhar a preferência do eleitor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.