Depõe nesta sexta acusado de ser o mandante do crime em Unaí

A Polícia Federal vai ouvir nesta sexta-feira em Unaí (MG) o produtor rural Norberto Mânica, principal suspeito de comandar um esquema para assassinar três fiscais do Ministério do Trabalho e um motorista, mortos em 28 de janeiro numa emboscada. Um dos maiores produtores de feijão do País, Mânica foi intimado hoje pela Polícia Federal. A ordem para intimar Mânica já havia sido dada pela PF desde a semana passada, mas só hoje foi executada. A PF informou que preferiu tomar os depoimentos de outros envolvidos no caso antes de entregar a intimação ao produtor rural, que estava hoje em Unaí. De acordo com evidências levantadas pelo delegado encarregado do inquérito da chacina em Unaí, Antônio Celso dos Santos, Mânica teria arrecadado R$ 50 mil para pagar os pistoleiros Erinaldo de Vasconcelos Silva, Rogério Alan Rocha Rios e William Gomes de Miranda, para que matassem os funcionários do Ministério do Trabalho. Vasconcelos Silva teria assassinado os fiscais João Batista Soares e Eratóstenes Gonçalves, além do motorista do Ministério do Trabalho. Rocha Rios teria matado o outro fiscal, Nelson José da Silva. Segundo informações da PF, o fiscal José da Silva estava na mira de Norberto Mânica por ser autor de várias multas contra produtores da região, entre eles familiares do produtor rural, por prática de irregularidades na contratação de empregados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.