Dependentes de servidores assassinados terão indenização

O governo sancionou a lei que concede auxílio especial aos dependentes legais dos servidores do Ministério do Trabalho, assassinados durante ação fiscal. Os servidores Ailton Pereira de Oliveira, Eratóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lages e Nelson José da Silva foram assassinados em janeiro de 2004, no município de Unaí, Minas Gerais, quando investigavam a ocorrência de trabalho escravo na região. O auxílio especial será no valor de R$ 200 mil por servidor, dividido entre seus dependentes. O dependente estudante do ensino fundamental receberá uma bolsa especial até os 18 anos e o universitário, até os 24 anhos de idade. A lei foi publicada hoje no Diário Oficial da União e já está em vigor.

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2006 | 13h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.