Denúncias no MTE não atingem Dias, diz líder do PDT

O líder do PDT no Senado, Acir Gurgacz (RO), afirmou nesta segunda-feira, 16, que o ministro do Trabalho, Manoel Dias, já tomou todas as providências devidas para esclarecer as denúncias de irregularidades na pasta que comanda. "O Manoel é a pessoa certa para fazer um limpa lá. Ele tem respaldo, tem experiência, tem idade", afirmou ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

DÉBORA ALVARES E RICARDO BRITO, Agência Estado

16 de setembro de 2013 | 16h58

Para o congressista, as denúncias dizem respeito a pessoas que cercam o ministro não devem atingi-lo. O jornal O Estado de S. Paulo revelou nesta segunda que a mulher do ministro, Dalva Dias, e seu chefe de gabinete, Rodrigo Minotto, foram envolvidos em irregularidades com convênios em Santa Catarina, base política de Manoel Dias. "Ele já fez o que devia, mandou apurar todas as denúncias", ressaltou Gurgacz.

O senador também saiu em defesa do seu partido que, em 2011, sofreu grande desgaste com acusações semelhantes às de agora. Na época, enfraquecido, o então chefe da Pasta, Carlos Lupi, acabou demitido no que ficou conhecido como "faxina", no primeiro ano de gestão da presidente Dilma Rousseff.

Em discurso no plenário, o senador Pedro Taques (PDT-MT) disse ter ficado "consternado" com as denúncias que envolvem o Ministério do Trabalho. "Qualquer agente público ou privado que tenha facilitado por ação ou omissão uma irregularidade, tem que ser investigado ou punido", disse. "Sou membro do PDT e não tenho qualquer compromisso de passar panos quentes a quem quer que seja", completou.

Para o senador do Mato Grosso, o PDT não precisa de ministério para apoiar Dilma, uma vez que, para ele, um partido não serve para "aparelhar o Estado". "Nós confiamos no trabalho que está sendo feito pelo ministro Manoel Dias, mas uma resposta precisa ser dada à sociedade brasileira", disse.

Mais conteúdo sobre:
MTEManoel DiasPDT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.