Denúncias de corrupção nos Transportes já derrubam 16

Mais três servidores ligados ao Ministério dos Transportes foram exonerados pelo Palácio do Planalto. As demissões foram publicadas na edição de hoje do Diário Oficial da União. Desde o início do mês, quando foram reveladas as denúncias de corrupção na pasta, 16 pessoas já foram afastadas de suas funções.

AE, Agência Estado

20 de julho de 2011 | 11h24

Entre as demissões oficializadas hoje está a de Eduardo Lopes, funcionário do Ministério dos Transportes, conforme antecipou o jornal O Estado de S. Paulo na sua edição desta quarta-feira. Os demais são os funcionários da estatal Valec Cleilson Gadelha Queiroz, gerente de licitações e contratos, e Pedro Ivan Guimarães, assessor da estatal.

Ontem, foram demitidos quatro funcionários do ministério e dois do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O objetivo imediato do Palácio do Planalto com as demissões é minar um suposto esquema de desvios, montado ao longo de anos, que teria ligações próximas a dirigentes do PR. Funcionários do departamento em outros Estados também devem ser exonerados nos próximos dias. São previstas ainda as demissões do diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, e do diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit, o petista Hideraldo Luiz Caron.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.