Denúncias de ACM fortalecem clima de CPI

Os líderes do PT na Câmara, Walter Pinheiro (BA), e no Senado, José Eduardo Dutra (SE), vão pedir, por meio de termo aditivo, a inclusão da entrevista do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), publicada pela revista "Época", à denúncia que o PT encaminhou ao Conselho de Ética do Senado. Na entrevista, o senador baiano faz novas acusações contra o governo e traz à tona suspeitas sobre o processo de privatização do sistema Telebrás. "Ele já sabia das suspeitas na época da privatização e abafou o caso, agora quer usá-las como chantagem para pressionar o governo", atacou o líder do PT na Câmara. Segundo Walter Pinheiro, o Conselho de Ética do Senado terá ainda mais informações para apurar os fatos e apontar eventuais responsabilidades de ACM. O líder petista disse ainda que a oposição poderá tentar instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a privatização do sistema Telebrás, que conta com número sufuciente de assinaturas de deputados e depende apenas de ser instalada.No seu entender, as suspeitas de que o ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio teria ajudado "determinadas empresas" durante o processo de privatização, levantadas por ACM, poderá retomar o debate sobre o assunto. "É mais um dado importante para a instalação da CPI", disse o deputado, ressaltando, porém, que quando a oposição apresentou o requerimento o próprio ACM foi contra a iniciativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.