Denunciados em esquema da Petrobras não vão a desfile

A presidente Dilma Rousseff chegou há pouco ao desfile do Sete de Setembro no Rolls Royce presidencial, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. No palanque tomado por autoridades, nota-se a ausência de pessoas supostamente beneficiadas pelo esquema de desvio de verbas na Petrobras, segundo teria revelado o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em depoimento à Policia Federal e ao Ministério Público.

LU AIKO OTTA, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2014 | 10h01

Não está presente o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB AL) que, segundo revelou o portal Estadão.com na tarde da última sexta feira, foi citado por Costa. Também não veio o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão que, segundo a revista Veja, também teria sido mencionado.

O governo montou um esquema de segurança para o desfile do Sete de Setembro que também serviu para minimizar o risco de vaias. O Rolls Royce no qual a presidente Dilma Rousseff chegou foi precedido por um grupo de motocicletas com as sirenes ligadas. Além disso, a estrutura física dos palanques mantém os populares longe. O palanque presidencial fica blindado, nas laterais, pela instalação de "camarotes vip". O acesso por trás é fechado pelo esquema de segurança. À frente, ficam os palanques da imprensa e mais um para convidados, cercados por tapumes que impedem a chegada de pessoas a um raio de aproximadamente 50 metros.

Tudo o que sabemos sobre:
7 de setembroPetrobrasdenunciados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.