Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Denúncia contra Glenn viola liberdade de imprensa, diz Abraji

Associação de jornalismo investigativo divulga nota em repúdio à ação do MPF; associação de imprensa manifesta solidariedade

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2020 | 17h44

SÃO PAULO - A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgou nota em que considera a denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept, uma violação à liberdade de imprensa. A Associação Brasileira de Imprensa (ABI), por sua vez, considerou a ação um “atentado à Constituição” e classificou a denúncia como “inepta”. Greenwald foi denunciado pelo Ministério Público (MPF) nesta terça-feira, 21, por supostamente ter aconselhado um hacker durante a invasão de celulares de autoridades públicas.

Na nota, a associação diz que, ao investigar o caso, a Polícia Federal não encontrou indícios de que Greenwald tivesse envolvimento nos crimes. “A conclusão está em relatório da PF de dezembro de 2019”, diz a nota.

A Abraji afirma que os diálogos apresentados como provas não confirmam as acusações do promotor assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo de Sousa de Oliveira, que assinou a denúncia. 

“Em nenhum momento, Greenwald buscou ‘subverter a ideia de proteção a fonte jornalística em uma imunidade para orientação de criminosos’, como afirma o procurador Oliveira”, diz a nota da associação. “O procurador afirma também que Greenwald sabia que Molição e o grupo ainda estavam interceptando conversas privadas, quando conversaram. Mais uma vez, o diálogo transcrito não confirma a acusação.” 

A associação ainda faz uma apelo à Justiça Federal para que não aceite à denúncia “m respeito não apenas à Constituição, mas à lógica”. “É um absurdo que o Ministério Público Federal abuse de suas funções para perseguir um jornalista e, assim, violar o direito dos brasileiros de viver em um país com imprensa livre e capaz de expor desvios de agentes públicos”. completa a Abraji. 

A denúncia também foi criticada por criminalista ouvido pelo Estado, e rebatida por Greenwald

ABI

Em nota, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) manifestou “irrestrita solidariedade” a Greenwald. A associação classifica a denúncia como “absurda”. “A denúncia, inteiramente inepta, representa um atentado à Constituição brasileira, um desrespeito ao STF e à Polícia Federal, bem como uma tentativa grotesca de manipulação, para tentar condenar o jornalista”, diz a nota, assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo de Sousa. 

Assim como a Abraji, a ABI pede a rejeição da denúncia.  Justiça Federal a rejeitar a denúncia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.