Denise cita e-mail em que governo desacataria Justiça

A ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu afirmou hoje, na audiência pública da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, ter tido conhecimento de um e-mail assinado pelo ex-presidente da agência Milton Zuanazzi e enviado à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, com desabafos sobre o caso da venda da Varig. No e-mail, lido na audiência pública pelo presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), Zuanazzi teria confirmado que, numa das reuniões com a direção da Anac para discutir a venda da Varig, a ministra da Casa Civil declarou que o governo não iria se submeter a decisões da Justiça no caso. "Naquela reunião, tu reagiste com rispidez e censura ao dizer que o governo não vai se submeter à decisão de juiz de quinta", teria escrito Zuanazzi, conforme o e-mail lido pelo senador. O texto, segundo Denise Abreu, foi distribuído no sistema de comunicação interna da Anac. "Quando vi o e-mail, fui procurar o Milton, que confirmou ter escrito, em tom de desabafo, ressaltando que não enviou a mensagem à ministra Dilma", disse. Ela afirmou que Zuanazzi lhe disse desconfiar de que militares teriam feito a distribuição do e-mail porque ele usou um laptop de propriedade da Aeronáutica.O ex-presidente da Anac teria revelado, no e-mail, sua fidelidade ao governo e afirmado que a solução encontrada para a venda da Varig foi construída conjuntamente pelo governo e pelo juiz Luiz Roberto Ayoub, que presidiu o processo. "Obedeci, sim, às determinações do governo e tuas, porque sou companheiro teu, do governo", teria afirmado o ex-presidente da Anac no texto. "Fui eu que defendi, pela primeira vez, que devíamos montar uma saída com o Judiciário", consta em outro trecho. O ex-diretor da agência teria revelado, em seguida, ter estabelecido "uma relação de confiança" com o juiz Luiz Roberto Ayoub. "Naquele início, o Judiciário estava louco para encerrar o processo e jogar no colo do governo a responsabilidade." O senador Sérgio Guerra retomou a palavra e afirmou não ser importante o fato de supostamente o e-mail não ter sido enviado. "O importante é o conteúdo dele", disse.

ISABEL SOBRAL, Agencia Estado

11 de junho de 2008 | 17h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.