Denise Abreu tem 'alta dose de ressentimento', diz Múcio

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, disse haver "alta dosagem de ressentimento" nas denúncias feitas pela ex-diretora da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) Denise Abreu, que afirmou ter sido pressionada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para beneficiar a VarigLog na compra da Varig. Após reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), no Palácio do Planalto, Múcio afirmou esperar que a ex-diretora separe as mágoas dos fatos ao depor na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, na próxima semana. "Quem tem interesse em esclarecer esses fatos é o governo. É bom que tudo venha à tona. Vamos torcer para que a carga emocional e a alta dosagem de ressentimento não atrapalhem o esclarecimento das questões." Apesar das declarações do ministro, o governo está preocupado com o potencial explosivo das denúncias feitas por Denise Abreu, que citou inclusive o advogado Roberto Teixeira - amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - como um dos beneficiados no negócio envolvendo a Varig. A ordem no Planalto é proteger Dilma, que recentemente foi alvo de outra denúncia: a de ter preparado um dossiê com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com cartão corporativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.