Dengue 'mata às dezenas' no Rio, diz 'Le Monde'

Segundo 'Le Monde', epidemia foi piorada pela 'negligência' das autoridades.

Da BBC Brasil, BBC

04 de abril de 2008 | 06h15

A dengue tem feito vítimas "às dezenas" e deixado urgências hospitalares "sobrecarregadas" no Rio de Janeiro, segundo uma reportagem publicada na edição desta sexta-feira do jornal francês Le Monde.O artigo mantém na agenda dos jornais estrangeiros a epidemia que já matou 67 pessoas na cidade. O argentino Clarín reporta inclusive estatísticas não-oficiais de que o número de pessoas afetadas é maior que o utilizado pelo governo."Mortes às dezenas, salas de urgências lotadas, médicos sobrecarregados: o Rio de Janeiro enfrenta sua pior epidemia de dengue dos últimos 50 anos", descreve o vespertino francês, afirmando que o alcance do problema obrigou as autoridades federais e locais a agir "tardiamente".O jornal diz que a epidemia foi piorada pela "negligência" das autoridades. O Monde destaca que o governador Sérgio Cabral assumiu que houve "falhas" na prevenção da doença. Além disso, para o jornal, as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva representaram a admissão de "certa irresponsabilidade" em todos os níveis.Tanto o Le Monde quanto o Clarín destacam que a "favelização" do Rio de Janeiro contribuiu para a disseminação da dengue.O diário argentino diz que um estudo do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA-RJ) "não deixou dúvidas sobre as origens da epidemia". "Há uma única razão: os lixões em bairros marginais, morros ou planos, onde abundam os esgotos a céu aberto."Segundo o jornal, atualmente há 60 mil casos registrados, mas "poderia ser que os números estejam mais próximos do milhão"."A epidemia já não está só no Rio, a cidade mais vulnerável. Também afeta Belo Horizonte, Curitiba e várias províncias (Estados) do Nordeste, sobretudo a Bahia. Os corpos diplomáticos começam a se preocupar. Nas páginas oficiais das Embaixadas dos Estados Unidos, França e Portugal, já avisam sobre os riscos."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.