Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

'Demissão de Geddel é para proteger Temer', diz Lindbergh

Oposição deve anunciar hoje medidas jurídicas que tomará contra o governo

Isabela Bonfim, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2016 | 11h40

BRASÍLIA - O líder da oposição, Lindbergh Farias (PT-RJ), rechaçou a demissão do ministro Geddel Vieira Lima após agravamento da crise com o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que também denunciou sofrer pressão do presidente Michel Temer. De acordo com Lindbergh, a demissão de Geddel é uma tentativa de proteger o presidente.

"A demissão de Geddel não é solução para essa crise. Geddel tem, sim, que ser demitido pelas acusações que sofreu, mas sua demissão não pode servir para abafar o envolvimento de Michel Temer, que também tem que responder pelos seus erros", afirmou. De acordo com o líder da oposição, Temer defendeu interesses privados e também tem parte na crise denunciada por Calero. 

Lindbergh está reunido no plenário do Senado com outros apoiadores da ex-presidente Dilma Russeff, como a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Roberto Requião (PMDB-PR). Os senadores estão discutindo as notícias relacionadas ao caso Geddel e pedindo punições para o ministro e o presidente.

A oposição deve anunciar hoje medidas jurídicas que tomará contra o governo Temer. Entre elas, já foi considerada a possibilidade de abertura de um processo de impeachment.

Tudo o que sabemos sobre:
Lindbergh FariasGeddel Vieira de Lima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.