Demarcação da Raposa Serra do Sol vai ser discutida no Senado

Requerimento de Sibá Machado foi aprovado nesta quinta, mas ainda não há data confirmada para debate

Agência Senado

24 de abril de 2008 | 17h31

A demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, será discutida em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), no Senado. O requerimento do senador Sibá Machado (PT-AC) pedindo a reunião foi aprovado nesta quinta-feira, 24, mas ainda não há data marcada.   Veja  também:   Roldão Arruda analisa na TV Estadão a situação na Raposa Serra do Sol  Saiba onde fica a reserva e entenda o conflito na região  Enquete: Você concorda com o modelo de demarcação das terras indígenas que expulsa os não-índios?  Galeria de fotos da Raposa Serra do Sol 'Roraima é do Brasil graças aos índios', diz especialista   Devem ser convidados para o debate o antropólogo e professor Eduardo Viveiros de Castro, do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Sydney Possuelo, indigenista; a advogada Joênia Wapixama, da delegação brasileira no Fórum Permanente dos Povos Indígenas da Organização das Nações Unidas (ONU) e Márcio Meira, antropólogo e presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai).   A demarcação da terra indígena, uma área contínua de 1,7 milhão de hectares, na fronteira do Brasil com a Venezuela, foi homologada em abril de 2005. Na Raposa vivem cerca de 20 mil índios. Em 27 de março começou a Operação Upakaton 3, da PF, para retirar da área os não-índios, pequenos proprietários rurais, alguns comerciantes e um grupo produtores de arroz. Houve resistência dos agricultores, que fizeram protestos, queimaram pontes. O caso foi parar no Supremo Tribunal Federal, que no dia 9 de abril suspendeu a operação até a decisão do mérito de pelo menos uma das ações principais questionando a demarcação da reserva indígena.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do Sol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.