DEM vai pedir investigação de denúncia de que servidores coletam nomes para criar PSD

Reportagem do Estado desta quarta-feira mostrou que funcionários da Prefeitura de SP estão recolhendo assinaturas para a criação do novo partido de Kassab

Julia Duailibi, de O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2011 | 13h03

O DEM anunciou nesta quarta-feira, 15, que entrará na quinta-feira, 16, com uma notícia crime na Procuradoria Regional Eleitoral, em São Paulo, para que sejam investigadas as denúncias de que funcionários da Prefeitura paulistana estão coletando assinaturas para a formação do PSD, partido a ser criado pelo prefeito Gilberto Kassab.

 

Reportagem publicada nesta quarta no Estado mostra que uma funcionária comissionada da Prefeitura mandou email a outros servidores, no qual afirma que recebeu uma "missão" do prefeito de coletar o maior número possível de assinaturas para criação do PSD - para obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) são necessárias quase 500 mil assinaturas em nove Estados. Kassab nega que tenha pedido a servidores para recolherem nomes.

 

A cúpula do DEM também disse que pedirá ao Ministério Público Estadual a abertura de investigação contra servidores por suspeita de ato de improbidade administrativa.

 

O DEM, partido do qual Kassab ainda faz parte oficialmente - por enquanto, ele só abriu mão do comando da sigla no Estado -, pretende fazer uma guerra jurídica contra o PSD com o objetivo de evitar que quadros migrem para a nova legenda. Ao anunciar a criação do novo partido, o prefeito convidou vários quadros do DEM para ingressar no projeto. 

Tudo o que sabemos sobre:
PSDGilberto KassabSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.