DEM vai pedir apuração sobre segurança do Planalto

O DEM anunciou ontem que vai entrar com uma representação no Ministério Público Federal para pedir investigação das ações do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, General Jorge Armando Félix. A decisão veio um dia após o GSI informar que não tem registros da entrada da ex-secretária da Receita Federal Lina Maria Vieira no Palácio do Planalto no fim de 2008 porque o órgão não guarda gravações e registros do sistema de segurança por mais de 30 dias.Em nota, o presidente do DEM, Rodrigo Maia, levanta a suspeita de "queima de arquivo público em benefício do próprio GSI ou do Palácio do Planalto". Para ele, se isso ficar comprovado, Félix deve ser responsabilizado pelos crimes de destruição de documento público ou sonegação de livro oficial.Na sexta-feira, o GSI informou que gravações de novembro e dezembro de 2008 - período em que Lina teria se encontrado com a ministra Dilma Rousseff - não podem ser encontradas porque o sistema de segurança descarta todos os registros após 30 dias. Essas imagens poderiam ser uma indicação de que Lina e Dilma se reuniram. A ex-secretária diz que, no suposto encontro, a ministra teria pedido que a Receita Federal acelerasse as investigações que envolvem Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).O GSI também informou que não há registros dos automóveis que entram e saem da garagem do Palácio do Planalto.

Fernando Nakagawa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

23 de agosto de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.