Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

DEM usa convenção para apoiar reeleição de Covas e exaltar Doria para a Presidência

Governador de SP foi saudado como 'futuro presidente da República' no evento em São Paulo

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2019 | 15h27

O DEM transformou sua convenção estadual realizada nesse domingo, 28, na Assembleia Legislativa de São Paulo, em palanque para anunciar o apoio da sigla à reeleição do prefeito Bruno Covas nas eleições do ano que vem e exaltar o governador João Doria como pré-candidato ao Palácio do Planalto em 2022. 

Ao chegar ao auditório Franco Montoro, Doria foi saudado pelo locutor Jorge Tadeu Mudalen, ex-deputado e ex-presidente do DEM, como “futuro presidente do Brasil” e o vice-governador Rodrigo Garcia, que foi eleito presidente do DEM-SP, como futuro governador. 

“João, você vai chegar lá porque é uma pessoa determinada. Rodrigo você tem uma responsabilidade enorme de suceder o João Doria”, disse Mudalen. “Se o bom Deus quiser vamos ter  Doria presidente. Estamos firmes como uma rocha com você, Bruno”, disse em seu discurso o vereador Milton Leite, presidente do DEM paulistano, diante de uma plateia de cabos cabos eleitorais que lotou o auditório. 

Leite também foi eleito secretário geral do DEM paulista. “Vamos apoiar o Bruno Covas. Aqui na capital está definido o jogo”, disse Leite ao Estado antes do evento. Quando questionado sobre sua candidatura à reeleição, o prefeito desconversou e disse que ainda é cedo para tratar do assunto. 

O ex-ministro Gilberto KassaB, secretário licenciado da Casa Civil paulista, participou do evento, mas foi embora cinco minutos antes da chegada de Doria e Covas. O senador José Serra, e o presidente da Assembleia, Caue Macris (PSDB) também estiveram na convenção.   

“Vamos tentar caminhar juntos para mostrar uma força partidária sob a liderança do João Doria para o futuro”, disse Rodrigo Garcia em seu discurso.  Reservadamente, tucano já trabalham com o cenário de Garcia no comando do Palácio dos Bandeirantes e defendem que o PSDB apoie sua reeleição em 2022 quando Doria se lienciar para disputar o Palácio  do Planalto. 

Fusão

Durante a convenção do DEM o debate sobre a fusão da sigla com o PSDB foi tratado abertamente.  “Essa discussão (fusão PSDB/DEM) está na mesa. Vamos avaliar com outros partidos também. A discussão ainda embrionára” , disse Milton Leite ao Estado

O prefeito Bruno Covas, por sua vez, afirmou que o assunto será tratado após a convenção nacional do PSDB, em maio. 

“`Passada a convenção nacional do PSDB e a provável eleição do Bruno Araújo como presidente do partido, vamos começar a discutir o futuro do partido.  Não há nenhum preconceito em relação à fusão. Vamos avaliar qual será o programa do PSDB ou que resultar a fusão com outro partido. Essa discussão vasi ser colocada na mesa após a convenção nacional”, disse Covas, 

“Essa discussão (fusão PSDB/DEM) está na mesa. Vamos avaliar com outros partidos também. A discussão ainda embrionára”, completou Milton Leite. Ele também falou em “verticalizar” a aliança do DEM com o PSDB  no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.