DEM quer que Serra use eleitos como cabos eleitorais

'Os que ganharam vão comandar a campanha', disse Bornhausen

Carol Pires e Rafael Moraes Moura, do estadão.com.br

06 de outubro de 2010 | 15h57

BRASÍLIA - O presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), e o presidente de honra do partido, Jorge Bornhausen (SC), defenderam nesta quarta-feira, 6, que a campanha de José Serra (PSDB) à Presidência coloque nas ruas os candidatos eleitos da coligação para pedir voto ao candidato tucano. Para Bornhausen, os candidatos eleitos devem voltar a fazer viagens pelos respectivos Estados para agradecer a eleição. Neste momento, segundo ele, é a hora de pedir também voto no presidenciável José Serra. "Os que ganharam vão comandar a campanha", disse.

 

Rodrigo Maia ressaltou que no primeiro turno a eleição é mais "complexa", e os candidatos a deputado e senador ficam mais tempo ocupados com a própria campanha. "No primeiro turno, a eleição é mais complexa. No segundo, turno o engajamento vai ser grande", afirmou.

 

Sobre a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que ficou ausente da campanha de Serra, mas garantiu a maior votação para Aloysio Nunes (PSDB) para senador em São Paulo, Maia disse que a campanha não pode ser "personalista". "Eu não sou publicitário, nem produtor de televisão. Acho que independentemente de colocar o nome do presidente Fernando Henrique Cardoso [na campana], as coisas não são personalistas. Nós temos uma eleição onde os partidos estão representados pelos seus candidatos", afirmou. "O que eu defendo é que nós possamos dar mais clareza ao eleitor do que nos fizemos nos oito anos que governamos o País".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.