DEM quer gravações do circuito interno do gabinete de Dilma

Para o partido, isso provaria se o encontro que Lina alega ter tido com Dilma realmente ocorreu

Denise Madueño, AE

13 de agosto de 2009 | 14h17

O líder do DEM na Câmara, deputado Ronaldo Caiado (GO), protocolou pedido formal de informação para que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, apresente todas as informações que possam confirmar, ou não, se a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira esteve com ela no Palácio do Planalto, no final do ano passado. Caiado quer as cópias das gravações do circuito interno de TV do andar onde Dilma trabalha no Palácio do Planalto; da planilha de controle de veículos que trafegaram pelo estacionamento do local, da agenda oficial da ministra e esclarecimento se existe ou não um controle paralelo de encontros e atividades não divulgadas. As informações requeridas se referem ao período de novembro e dezembro do ano passado.

 

Veja Também

linkCasa Civil nega ida de Erenice ao gabinete de Lina

 

Quem confirma a versão de Lina Vieira é a chefe de gabinete do secretário da Receita Federal, Iraneth Dias Weiler, subordinada de Lina na época do suposto encontro. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Iraneth afirmou que Erenice Guerra, secretária-executiva da Casa Civil, foi ao prédio da Receita Federal no final de 2008 para marcar um encontro entre Dilma e Lina e que esta última teria lhe confirmado verbalmente que o encontro iria acontecer.

 

A reunião reservada que Lina  alega ter tido com Dilma no Palácio, teria ococrrido no final do ano passado, na qual a ministra teria pedido a ex-secretária da Receita Federal para acelerar a auditoria nas empresas da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Dilma nega que tenha se reunido com Lina e garante que não fez pedido algum. 

 

"Se tivermos a prova cabal de filmagem, fica mais do que confirmado a audiência da ex-secretária com a ministra", disse Caiado. "Temos uma somatória de informações que sinalizam que a ex-secretária está dizendo a verdade", continuou o líder. Para Caiado, caso seja confirmado o encontro, Dilma deveria renunciar à pretensão de ser candidata à presidência da República.

 

No requerimento de informações protocolado na Mesa da Câmara há pouco, Caiado afirma que, caso as informações sejam de caráter sigiloso, elas poderão ser exibidas apenas para ele. A Constituição (artigo 50, parágrafo segundo) prevê crime de responsabilidade ao ministro de Estado que se negar a fornecer as informações requeridas pela Mesa da Câmara ou do Senado. O prazo de resposta é de 30 dias.

 

Iraneth dá detalhes do suposto encontro

 

Iraneth Weiler, chefe de gabinete do Secretário da Receita Federal, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, deu detalhes da suposta ida de Erenice Guerra, secretária executiva da Casa Civil, ao prédio da Receita, no final do ano passado, para marcar uma reunião entre Lina Vieira e Dilma Roussef.

 

Segundo Iraneth, ela estava na sala de Lina quando um segurança interfonou dizendo que Erenice Guerra estava subindo. Iraneth então teria aberto a porta e deixado Lina e a funcionária de Dilma a sós. Erenice teria entrado por um corredor que dá acesso direto à sala do secretário da Receita Federal, não tendo assim que passar pelas secretárias. Iraneth afirma que o encontro não foi registrado na agenda oficial e que isto é comum quando ocorrem "reuniões inesperadas". Iraneth finalizou dizendo que após o encontro, Lina contou que uma reunião com Dilma no Planalto havia sido marcada e sua presença estava confirmada.

 

   

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
CaiadoDilmaLina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.