DEM quer explicação de ex-diretora da Anac no Senado

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) vai apresentar amanhã requerimento à Comissão de Infra-Estrutura pedindo a convocação da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu para explicar declarações feitas em reportagem publicada hoje no jornal O Estado de S. Paulo, de que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, a teria pressionado para aprovar a operação de compra da Varig sem checar a origem dos recursos. A ministra contestou a informação.Denise Abreu relatou que foi pressionada pela ministra da Casa Civil e pela secretária-executiva da pasta, Erenice Guerra, a tomar decisões favoráveis à venda da VarigLog e da Varig ao fundo americano Matlin Patterson e a três sócios brasileiros. "A ministra não queria que eu exigisse os documentos. Dizia que era da alçada do Banco Central e da Receita e falou que era muito difícil fazer qualquer tipo de análise tentando estudar o Imposto de Renda porque era muito comum as pessoas sonegarem no Brasil", afirmou Denise Abreu ao Estado.Dilma afirmou hoje que são "falsas" as declarações. Em seguida, a ministra afirmou que estranhou o teor das declarações da ex-diretora, devido às relações de Denise Abreu com a Casa Civil. Ela lembrou que a ex-diretora da Anac já trabalhou na Casa Civil. "Mas não em minha gestão", ressaltou. A ministra-chefe da Casa Civil disse ainda que a responsabilidade pelo processo de venda da empresa foi da Anac e da Justiça, que trabalhou no processo de falência da companhia. "O governo não participou da venda da Varig. Não decidimos isso enquanto ministérios", afirmou.O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação, Franklin Martins, disse que o Palácio do Planalto não vai se pronunciar sobre as acusações. Segundo o ministro, o procedimento para a venda da Varig "foi decidido por processo judicial e foi conduzido por um juiz correto, que fez um trabalho importante". Integrantes do governo ressaltaram ainda que todos tinham interesse em que a Varig não fosse à falência, já que eram milhares de empregos, além de ela ser uma companhia brasileira com uma marca forte internacionalmente.InvestigaçãoA presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Paiva Vieira, afirmou hoje que cabe ao Ministério da Defesa investigar eventuais atos irregulares da primeira diretoria da Anac. "Sobre VarigLog, o que eu acho é que denúncias têm que ser apuradas. No entanto, atos de diretoria com suposta irregularidade devem ser apurados pelo Ministério da Defesa", afirmou. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que desconhece as denúncias feitas por Denise Abreu. "Desconheço essa questão. Me lembro que foi um procedimento judicial realizado no Rio de Janeiro pela Vara de Falências. Acho que não se chama mais assim. O assunto foi tratado sobre a batuta do juiz Ayoub", afirmou Jobim, referindo-se ao juiz da Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub.Dilma O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), anunciou que a bancada do governo estará atenta para evitar que a oposição convoque também a ministra Dilma Rousseff em alguma comissão para falar sobre o assunto. "Não há motivo para convocar a ministra Dilma. Se isso acontecer, é uma iniciativa meramente política e a base aliada responderá à altura", avisou Jucá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.