DEM protocola mais duas representações contra Lula e Dilma

Na última segunda-feira, 3, o partido protocolou outras duas ações no Tribunal Superior Eleitoral

Rodrigo Alvares, do estadão.com.br/ SÃO PAULO

04 Maio 2010 | 16h32

O Democratas entrou nesta terça-feira, 4, com mais duas representações no Tribunal Superior Eleitoral contra o presidente Lula e a pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. Nelas, o partido afirma que houve propaganda antecipada nos eventos organizados pela Força Sindical, em São Paulo, e pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, em comemoração ao dia 1º de Maio. É a quarta representação protocolada pelo Democratas em dois dias.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Para DEM, Lula fez propaganda antecipada em favor de Dilma no Dia do Trabalhador

 

"Nós não somos contra a pré-campanha, nós somos contra o fato da lei não ser cumprida. A legislação não permite política partidária dos sindicatos", afirmou o deputado Rodrigo Maia (RJ), presidente nacional do partido.

 

Na última segunda-feira, 3, o DEM protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) outras duas representações contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-ministra e pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff por propaganda eleitoral antecipada durante o pronunciamento oficial que fez em comemoração ao Dia do Trabalhador, em cadeia de rádio e TV, no dia 29 de abril.

 

A outra representação está focada no evento organizado pela CUT em 1º de maio, no qual, conforme o documento protocolado no TSE, o presidente Lula tentou, "ainda que de forma subliminar", projetar a pré-candidatura de Dilma à sucessão presidencial de 2010.

 

Em março, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu duas multas do Tribunal Superior Eleitoral, em ações movidas pela oposição, por supostamente ter promovido antes do prazo legal a candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência. Na primeira vez, Lula foi multado em R$ 5 mil. Na segunda, o valor dobrou: R$ 10 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.