DEM pede saída do deputado que 'se lixa' de Conselho de Ética

Corregedor da Câmara, ACM Neto, diz que pedido para que Sérgio Moraes deixe relatoria será formalizado na 3ª

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2009 | 10h57

Aumentaram na manhã desta sexta-feira, 8,  as pressões para que o deputado Sérgio Moraes (PTB-RS) seja destituído do cargo de relator do processo contra Edmar Moreira (sem partido-MG) no Conselho de Ética da Câmara.O corregedor da Câmara, Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), integrante do conselho, disse que seu partido pediu ao presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PR-BA), a saída de Sérgio Moraes da relatoria. O pedido será formalizado na próxima terça-feira pela deputada Solange Amaral (DEM-RJ), também conselheira.

 

Veja também:

forum Enquete: Relator exagerou nas declarações?

som Ouça discurso no plenário da Câmara

linkRelator quer livrar deputado dono do castelo: 'Estou me lixando para opinião pública'

especialPerfil: Quem é Edmar Moreira, dono do castelo

lista Todas as notícias sobre o caso Edmar Moreira

documento Fac-símile: 'Estado' publica matéria sobre o caso em 1993

 

Conhecido por ser dono de um castelo de R$ 25 milhões na zona da mata mineira, registrado em nome dos dois filhos, Edmar é suspeito de usar recursos da verba indenizatória em benefício próprio. Nos dois últimos dias, Sérgio Moraes saiu em defesa do deputado processado e disse que não há motivos para condenar Edmar. O relator abriu uma crise no Conselho de Ética ao declarar que está se "lixando para a opinião pública".

 

Na corregedoria, ACM Neto formou uma comissão de sindicância responsável pela investigação preliminar do caso. A comissão concluiu haver indícios de que os serviços de segurança pagos por Edmar Moreira com a verba indenizatória não foram prestados."O relator demonstra, no mínimo,não ter lido a representação (denúncia) encaminhada ao conselho. Quem lê entende que seria necessária minuciosa investigação para somente depois formar um juízo. É diferente do relator, que já antecipou suas conclusões. Ele se mostra incapacitado para a relatoria", afirmou ACM Neto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.