DEM pede ao TCU que apure ''aluguel'' de manifestantes

Líder suspeita que central pode estar usando verba do imposto sindical

Lisandra Paraguassú, O Estadao de S.Paulo

08 de agosto de 2009 | 00h00

O líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), entrou ontem com pedido para que o Tribunal de Contas da União (TCU) investigue o aluguel de manifestantes por parte da Nova Central Sindical dos Trabalhadores e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (Contratuh) do Distrito Federal. Na ação, Caiado alega que recursos vindos do imposto sindical, pagos por todos os trabalhadores, independentemente de serem ou não sindicalizados, podem estar sendo usados para a contratação de pessoas que participam de manifestações, daí o interesse do TCU.O aluguel de manifestantes foi revelado esta semana pelo portal Consultor Jurídico. Uma reportagem do Estado tratou ontem do assunto. Conversas de representantes da Nova Central (Contratuh) com jornalistas revelam o uso de uma intermediadora para arregimentar pessoas em cidades-satélites pobres do Distrito Federal e levá-las para participar de manifestações organizadas pelos sindicatos.Em Planaltina, o Estado encontrou pelo menos quatro pessoas que foram convidadas a participar de manifestações na Esplanada em troca de R$ 40 e, se o expediente fosse mais longo, um almoço. "É uma artificialização criminosa, em que existe a possibilidade de uso de dinheiro público para pagar pessoas para virem aqui na Esplanada fazer movimentações a favor de A ou B", criticou Caiado. "Há fortes indícios de um grande esquema de profissionalização de manifestantes de agremiações sindicais", diz a ação encaminhada ao TCU. Uma decisão do Supremo Tribunal Federal classificou a contribuição sindical como contribuição social, tendo então natureza tributária. Por isso, cabe ao TCU fiscalizar a aplicação desses recursos pelos sindicatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.