DEM obstrui votação de MP do funcionalismo na Câmara

Líder do partido condiciona fim da obstrução a acordo que trata de renegociar dívidas do setor agropecuário

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

16 de julho de 2008 | 15h07

O DEM mantém a estratégia de obstruir as votações desta quarta-feira, 16,  na Câmara dos Deputados, que tenta votar a medida provisória (MP) 431, que altera o plano de cargos e salários de 800 mil servidores civis e 611 mil militares, incluindo aposentados e pensionistas. O líder do partido, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), condiciona o fim da obstrução a um acordo em torno da MP 432, que trata da renegociação das dívidas do setor agropecuário. "Está distante a possibilidade de entendimento", afirmou ACM Neto. O líder do PT, Maurício Rands (PE), espera votar  também a MP 433, que prevê isenção de tributos na importação e comercialização de trigo e do pão comum, além da MP 431. O impacto dos aumentos previstos na MP 431 será de R$ 7,7 bilhões este ano, atingindo R$ 32 bilhões até 2012, quando estarão em vigor todas as parcelas dos reajustes concedidos pela medida provisória. O impacto maior nas contas públicas será no governo do presidente que assumir em 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.