Reprodução/TV Estadão
Reprodução/TV Estadão

DEM envia ao TSE vídeos com supostas fraudes em assinaturas do PSD

Eleitores teriam recebido cestas básicas em troca de assinaturas em fichas do PSD

Eduardo Bresciani, do Estadão.com.br

16 Setembro 2011 | 15h55

O DEM anexou ao processo em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a criação do PSD vídeos com depoimentos de eleitores que assinaram a lista de apoiamento para o novo partido em troca de cestas básicas. O Estado revelou nesta quinta-feira, 15, o uso deste expediente na cidade de São Salvador do Tocantins. No vídeo entregue pelo DEM há ainda depoimento de eleitores de Crixás (TO) confirmando a utilização do mesmo método. A gravação foi encaminhada para a ministra Nancy Andrigui com a solicitação de envio para o Ministério Público Eleitoral (MPE). Ainda na quinta-feira, a subprocuradora eleitoral, Sandra Cureau, defendeu a realização de diligências para investigar as suspeitas de irregularidades na coleta de assinaturas e ameaçou dar parecer contrário à criação do PSD.

 

A aposentada Floripe de Souza Póvoa, que mora em São Salvador do Tocantins, aparece no vídeo contando que diversas pessoas na cidade receberam as cestas básicas e tiveram que assinar um documento. “Aqui foi todo mundo, minhas três filhas todas receberam e assinaram.” Em entrevista ao Estado publicada na quinta-feira, 15, Floripe disse desconhecer que o documento era de apoiamento ao PSD. Segundo ela, foi informado aos moradores se tratar de um cadastro do governo do Estado.

 

Também moradora de São Salvador do Tocantins, Ronilda Bispo de Souza Silva aparece no vídeo dizendo ter recebido a cesta básica do vereador Washington Milhomen (PR), conhecido na cidade como Pezão. Ela afirma que as cestas teriam sido mandadas por Kátia Abreu, senadora que é uma das fundadoras do PSD.

 

O pedreiro Marcelio Lima da Silva, de Crixás, afirma que as cestas básicas foram distribuídas na cidade de forma semelhante ao que o Estado revelou ter acontecido no outro município do interior do Tocantins. “Entregaram as fichas na rua para não bagunçar. Entregava a ficha e pegava a cesta”. Ele também diz ter assinado uma protocolo que seria para comprovar o recebimento do alimento. Silva disse não saber que a lista era para o apoiamento do PSD.

 

Outra eleitora, Maria Osalisse Ribeiro Dourado disse não ter recebido explicações sobre o motivo para assinar algum documento para receber a cesta básica. Ela também afirmou que as cestas teriam vindo do governo do Estado.

 

O PSD nega envolvimento com a distribuição de cestas básicas e diz defender a punição de eventuais culpados. Kátia Abreu também diz não “compactuar” com o uso da troca de alimentos por assinaturas e defendeu punição severa se confirmadas as denúncias. O vereador Pezão nega que tenha havido a vinculação entre a distribuição das cestas e a coleta de assinaturas, enquanto o governo do Estado diz ter enviado as cestas básicas para associações de moradores e não para políticos realizarem a distribuição.

O vídeo entregue pelo DEM contem depoimentos de outros eleitores das cidades de São Salvador do Tocantins e Crixás. Não há, porém, identificação precisa dos eleitores. Por isso, o Estadão.com.br cortou os depoimentos de quem não foi identificado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.