DEM entra com representação no TSE contra Lula

A caravana de inaugurações e visitas a obras protagonizadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) a pedir que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) investigue o presidente por abuso de poder político e de autoridade. Segundo o presidente do DEM, Lula subiu em palanques e fez discursos em diversos Estados com críticas à oposição e elogios a aliados, como a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, apontada como candidata à sucessão presidencial.Na ação, que será relatada pelo Corregedor-Geral da Justiça Eleitoral, José Delgado, o partido pede que, em caráter liminar, Lula seja proibido de lançar os programas do governo fora de Brasília, em palanques montados em outras cidades. A depender do partido, Lula só deveria participar de cerimônias para o lançamento de programas no Palácio do Planalto. Apenas nas inaugurações Lula estaria liberado para viajar pelo País.Na avaliação do DEM, quando Lula usa eventos oficiais para criticar a oposição ele beneficia eleitoralmente os partidos que integram a base do governo e prejudica a imagem das legendas da oposição, principalmente o DEM e o PSDB. "Ele pode não estar fazendo campanha para si, mas está fazendo campanha sistemática para seus aliados. Todos os discursos são focados na campanha de 2008 e de 2010", disse Maia."Há um abuso por parte do presidente nos últimos meses da máquina para a antecipação das eleições."Além de proibir o lançamento de programas fora de Brasília e críticas à oposição em eventos oficiais, o DEM pede ao TSE que multe o presidente em R$ 53.205,00, o equivalente a 50 mil Unidades Fiscais de Referência (Ufirs), por propaganda eleitoral antecipada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.