DEM-DF escolhe Osório Adriano para disputar governo

Candidato nas eleições indiretas é acusado de usar recursos da Câmara para pagar empregada doméstica

CAROL PIRES, Agência Estado

06 de abril de 2010 | 15h29

O diretório regional do DEM escolheu Osório Adriano, suplente de deputado federal, para ser o candidato do partido à eleição indireta que escolherá o novo governador do Distrito Federal. O DF está sendo governado interinamente por Wilson Lima (PR) há cerca de 50 dias. O governador eleito, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), teve o mandato cassado por infidelidade partidária, e o então vice-governador, Paulo Octávio, renunciou ao mandato. A eleição indireta está marcada para o dia 17.

 

Veja também:

Entenda a operação Caixa de Pandora

Contratação de empregada por suplente é ilegal

Gurgel considera eleição no DF desculpa para atrapalhar intervenção

 

Osório Adriano assumiu vaga na Câmara dos Deputados quando Alberto Fraga, eleito pelo DEM, pediu licença do cargo de deputado federal para assumir a secretaria de Transportes do governo do Distrito Federal (GDF). Durante o breve mandato, foi revelado pela imprensa que Osório Adriano usou recursos da Câmara para pagar a empregada doméstica de Alberto Fraga. Ele, na época, negou a acusação e disse não conhecer a funcionária.

 

Adriano também foi citado, em depoimento à Polícia Federal, por Durval Barbosa, delator do "mensalão do DEM", esquema de corrupção que seria chefiado por Arruda, segundo inquérito da Operação Caixa de Pandora. Segundo Barbosa, a empresa AB Produções, que trabalhou na campanha de eleição de José Roberto Arruda, em 2006, alugou uma chácara no Lago Sul, em Brasília, pertencente a Osório Adriano, que serviu de gabinete de transição de governo após a campanha. Apelidado de "Casa dos Artistas", a chácara, segundo Barbosa, possuía "um gabinete para Arruda, composto de sala, sala de estar e quarto com cama king size".

 

O DEM ainda não escolheu o candidato a vice que concorrerá ao governo na chapa de Osório Adriano. Até o momento, nenhum candidato se inscreveu. O prazo para registro de candidaturas termina amanhã, às 18h.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFDEMeleições indiretas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.