DEM desiste de expulsar Edmar até TSE definir situação

Dizendo-se perseguido pelo partido, deputado dono de castelo foi ao tribunal para deixar sigla sem punição

Denise Madueño, de O Estado de S. Paulo,

10 de fevereiro de 2009 | 18h18

O DEM, alertado por seus advogados, mudou de estratégia e não deverá mais expulsar o deputado Edmar Moreira (MG) do partido, pelo menos até que se esclareça a situação do parlamentar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A assessoria jurídica da legenda avaliou que a expulsão daria argumentos a Moreira na disputa pelo mandato do deputado. No TSE, Moreira alega perseguição ao considerar sua desfiliação. O DEM pretende pedir o mandato do deputado na Justiça como base na regra da fidelidade partidária. Veja também:ACM Neto assume cargo de Edmar Deputado dono de castelo se rende a pressão e renuncia a cargosPerfil: Quem é Edmar Moreira, dono do castelo Enquete: você fiscaliza os políticos em quem votou?  Todas as notícias sobre o caso Edmar MoreiraVeja quem são os membros da Mesa Diretora da Câmara Fac-símile: 'Estado' publica matéria sobre o caso em 1993 A sucessão dos presidentes do Senado    Blog: acompanhe os principais momentos das eleições na Câmara e no Senado  Com a decisão de Moreira de ir ao TSE, o DEM considera que o deputado se desligou do partido, outro argumento para não expulsar mais o parlamentar. "Ele já não é mais membro do nosso partido", afirmou o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ). "Ele tomou a decisão de ir à Justiça", completou Maia. O DEM vai entrar com um pedido no TSE para esclarecer a situação do parlamentar. O partido quer saber se a consulta de Moreira significa que o deputado está desfiliado ou não. Rodrigo Maia vai pedir ao presidente do tribunal, ministro Ayres Britto, que responda rapidamente a questão.

Tudo o que sabemos sobre:
DEMEdmar MoreiracasteloTSE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.