DEM desiste de apoiar Rosinha em Campos-RJ

Partido anulou a pré-convenção que indicou Paulo Hirano como candidato a vice-prefeito na chapa do PMDB

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

30 de junho de 2008 | 18h58

A Direção Nacional do DEM decidiu nesta segunda-feira, 30,  intervir no diretório municipal de Campos dos Goytacazes, no norte do Rio, reduto político dos ex-governadores Rosinha e Anthony Garotinho (PMDB), e anular a pré-convenção que indicou o médico e empresário Paulo Hirano (DEM) como candidato a vice-prefeito na chapa do PMDB. A coligação é encabeçada por Rosinha. Com a decisão da ex-governadora do Rio de concorrer à prefeitura de Campos, a disputa pela vaga de candidato a vice-prefeito na chapa pôs em campos opostos Anthony Garotinho e o irmão dele, o vereador Nelson Nahim (PMDB).   Veja também Calendário eleitoral das eleições de 2008  Na tentativa de ampliar o arco de alianças em torno de Rosinha, o ex-governador do Rio trocou Nahim por Hirano na vaga. O vereador do PMDB de Campos dos Goytacazes saiu criticando o irmão e não compareceu ao lançamento da candidatura da cunhada, ontem. A decisão também não agradou ao prefeito da capital fluminense, Cesar Maia (DEM), principal adversário político do casal. Com a intervenção, segundo Maia, o partido indicará o candidato a vice na chapa do deputado Arnaldo Vianna (PDT), desafeto e principal adversário dos Garotinhos na cidade, que teve a candidatura lançada hoje.Nahim era pré-candidato a prefeito pelo PMDB até que o ex-governador resolveu lançar Rosinha, como fizera com sucesso em 2002 ao governo do Rio. No desterro desde que ela deixou o governo do Estado, Garotinho quer reconquistar a prefeitura de Campos, que dirigiu duas vezes antes de se tornar governador, em 1999. O município é o maior colégio eleitoral do interior fluminense. Agora, o cargo é ainda mais atraente, uma vez que Campos teve o cofre vitaminado por royalties do petróleo que fizeram o orçamento anual passar de R$ 1 bilhão.Para fazer o irmão desistir da candidatura em favor da ex-governadora, Garotinho havia prometido a ele a vaga de vice-prefeito. Com a troca por Hirano, Nahim faltou à convenção que lançou Rosinha ontem e acusou o irmão de "traição" numa rádio local. "Sou um homem de palavra. Para mim, palavra vale mais do que papel", queixou-se Nahim, informando que pretende abandonar a política. O ex-governador não comentou o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.