DEM decide em agosto se aciona conselho contra Sarney

Presidente do Senado já coleciona no Conselho de Ética quatro denúncias: três de Virgílio e uma do PSOL

Agência Estado,

23 de julho de 2009 | 17h15

Para discutir a possibilidade de apresentar representação ao Conselho de Ética contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por quebra de decoro parlamentar será discutida pela bancada do DEM no Senado em reunião prevista para a primeira terça-feira de agosto, na volta do recesso.

 

Veja também:

lista O ESTADO DE S. PAULO:Gravação liga Sarney a atos secretos

somÁUDIO: Ouça os diálogos que ligam Sarney a atos secretos e a Agaciel

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

 

A avaliação do líder do DEM, senador José Agripino Maia (RN), é de que a situação de José Sarney no comando do Senado ficou "insustentável" após reportagem do Estado, que revelou diálogos gravados pela Polícia Federal em que Sarney aparece negociando um emprego na Casa para o namorado de sua neta, que acabou contratado por um ato secreto, sem concurso.

 

Sarney coleciona no Conselho de Ética quatro denúncias apresentadas pelo líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), e uma representação registrada pelo PSOL, que responsabilizam Sarney pela edição dos atos secretos, usados para nomeações sem concurso público e para beneficiar determinados servidores e parlamentares e por suposta participação de Sarney no esquema de desvio de dinheiro de patrocínio da Petrobras a um projeto cultural da Fundação José Sarney. Se ele for julgado culpado pelos colegas, e a decisão for referendada pelo plenário, Sarney pode perder o mandato de senador e ficar inelegível por oito anos.

Tudo o que sabemos sobre:
DEMConselho de ÉticaJosé Sarney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.