DEM abre processo para expulsar presidente da Câmara do DF

Partido alega que depois das denúncias e desfiliação de Arruda processo contra Prudente se tornou necessário

estadao.com.br,

11 de dezembro de 2009 | 14h37

O diretório regional do DEM, no Distrito Federal, abriu processo de expulsão do deputado distrital e presidente afastado da Câmara Legislativa Leonardo Prudente. Ele aparece em imagens guardando nas meias um dinheiro recebido de um ex-secretário do governo.

 

Veja Também

linkAcuado por denúncias, Arruda anuncia desfiliação do DEM

linkCâmara Legislativa do DF cria CPI para apurar mensalão do DEM

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o mensalão do DEM

 

Leonardo Prudente terá oito dias para apresentar sua defesa. O relator do processo no partido é Nilo Cerqueira, administrador regional do Sudoeste, cidade do Distrito Federal.

 

O partido alega que depois das denúncias e da desfiliação do governador José Roberto Arruda - acusado de articular esquema de propina e corrupção - a abertura de processo contra Prudente se tornou necessária.

 

"A decisão se assemelha à tomada na semana passada com o Arruda, pelo DEM nacional", disse o secretário-geral do partido, Flávio Couri.

 

Além de ter sido filmado guardando dinheiro nas meias, Leonardo Prudente também aparece rezando em um vídeo, que ficou conhecido como "oração da propina".

 

Com informações da Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.