DEM abre processo de expulsão de Leonardo Prudente

Por maioria dos votos, a Executiva do DEM no Distrito Federal aprovou hoje abertura de processo de expulsão do presidente licenciado da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente (DEM). Por meio de processo interno, o partido vai decidir se as denúncias justificam a expulsão do deputado, envolvido em suposto esquema de arrecadação e distribuição de propina e flagrado nas gravações do inquérito conduzido pela Polícia Federal (PF) guardando dinheiro nos bolsos do paletó e nas meias.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

11 de dezembro de 2009 | 17h10

O deputado tem até oito dias, a partir de hoje, para apresentar sua defesa. O prazo é o mesmo concedido ao governador José Roberto Arruda (sem partido-DF), que deixou a sigla na tarde de ontem, após abertura de processo de expulsão.

Logo que as denúncias surgiram, Prudente afirmou que havia guardado os maços de dinheiro por "questão de segurança", mas reconheceu que os valores não foram declarados à Justiça Eleitoral durante a campanha de 2006. "Eu recebi o dinheiro e coloquei nas minhas vestimentas em função da minha segurança porque não uso pasta", disse na época.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoDFLeonardo Prudenteexpulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.