Delúbio se diz 'grato' a Valério por 'empréstimos'

O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares afirmou em depoimento à Justiça Federal na terça-feira que é ?muito grato? pelo fato de o publicitário Marcos Valério ter orquestrado um esquema para a contração de empréstimos que alimentaram os cofres petistas entre os anos de 2003 e 2004. No depoimento, ao qual a reportagem teve acesso, ele reafirmou a versão de que agiu sozinho ao procurar o publicitário para resolver um rombo nas contas do PT. Mas chegou a falar como se ainda integrasse a direção petista. E até mesmo insinuou a possibilidade de débitos com Valério serem quitados no futuro.?Eu solicitei ao Marcos Valério esses empréstimos, ele fez, na época era um problema enorme, sou muito grato a isso?, disse o ex-tesoureiro, que, apesar de afirmar que agiu sozinho, usava o pronome no plural. ?Foi essa a solução que nós encontramos. Deu errado, porque veio a crise, todas as denúncias e nós não devolvemos o dinheiro a ele ainda.? Delúbio se referia a cerca de R$ 55 milhões que teriam sido levantados em operações intermediadas por Valério, segundo o ex-tesoureiro para cobrir dívidas de diretórios regionais do PT e despesas de partidos da base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Apesar de declarar que a escolha de pedir empréstimos a Valério coube exclusivamente a ele, Delúbio contou que a ordem para que buscasse uma solução para o buraco nas contas partiu da direção petista, em especial da Executiva Nacional. ?Fizemos uma reunião no Partido dos Trabalhadores, com todos os Estados, agora estou me lembrando, quase R$ 26 milhões era a dívida dos diretórios regionais. E eu apresentei esse problema à Executiva. A Executiva: ?Encontra uma solução?.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.