Delta Construtora ainda é líder em pagamentos do governo

No ranking de empresas que mais arrecadam dinheiro dos impostos, a empreiteira só perde para a Embraer

Marta Salomon, de O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2012 | 22h30

Mesmo afastada de novos negócios a União, a Delta Construções ainda lidera o ranking das empresas que mais recebem dinheiro dos impostos. Nesse ranking, a empreiteira só perde para a Embraer, fabricantes de aviões responsável pelo milionário projeto de desenvolvimento de um cargueiro militar para o Ministério da Defesa.

Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência, com informações lançadas até o fim de maio. Na ocasião, a Delta já era alvo de um processo administrativo na Controladoria-Geral da União, que a proibiria de participar de concorrências públicas ou celebrar novos contratos no prazo de dois anos.

O processo foi aberto no fim de abril, depois de investigações da Polícia Federal apontarem envolvimento da empresa com corrupção.

Administração direta. Conforme o portal, a Delta já recebeu este ano R$ 226 milhões de órgãos da administração direta. A maior parte dos pagamentos partiu de contratos celebrados com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A segunda maior parcela refere-se às obras da transposição do Rio São Francisco, pelas quais foram desembolsados mais de R$ 23 milhões até o fim de maio. O lugar da Delta no ranking ao fim do ano dependerá do destino dos contratos em curso com a União, objeto de auditorias nos ministérios e nos órgãos de controle. Atualmente, ela ganha de todas as demais empreiteiras e demais empresas que prestam serviços ao governo. A construtora Norberto Odebrecht aparece na sequência, por causa das obras de instalação de estaleiro e base de construção para submarinos nucleares, contratada pelo Comando da Marinha. Entre 2009 e 2011, a Delta foi a empresa que mais recebeu recursos do contribuinte, por meio de órgãos da administração direta. Os gastos da União nesses três anos somaram R$ 2,4 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.