Delfim falará à comissão da Verdade da capital

O economista e ex-ministro Antonio Delfim Netto vai comparecer perante a Comissão Municipal da Verdade de São Paulo no próximo dia 25. Ele aceitou o convite do presidente da comissão, vereador Gilberto Natalini (PV), para prestar depoimento sobre o esquema que teria sido montado por um grupo de empresários paulistas para financiar órgãos da repressão durante a ditadura militar.

ROLDÃO ARRUDA, Agência Estado

06 Junho 2013 | 09h17

Delfim foi ministro da Fazenda entre 1967 e 1974 e figura na lista dos signatários do Ato Institucional n.º 5, que resultou no endurecimento do regime, em dezembro de 1968. Era um dos ministros mais poderosos da ditadura quando, no fim da década de 1960, empresários paulistas passaram a reunir fundos para financiar a Operação Bandeirantes - organização que depois daria lugar ao DOI-Codi, o serviço de informações e repressão vinculado ao 2.º Exército.

"O ex-ministro tem sido citado como pessoa que transitava nos meios empresariais que arrecadavam recursos financeiros para financiar o aparato da repressão", diz o vereador Natalini. "Na comissão municipal, nós queremos esclarecer qual foi o papel desses empresários, com os quais o Delfim muito provavelmente mantinha contatos."

Delfim foi um dos responsáveis pelo chamado "milagre econômico", no início da década de 1970. Com 85 anos, é professor emérito da Faculdade de Economia e Administração da USP.

Desde o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ele tem assessorado informalmente o Planalto. Apoia a política econômica da presidente Dilma Rousseff.

Antes de ser chamado pelo governo militar, o economista foi secretário da Fazenda no governo de Laudo Natel. Após a redemocratização, foi eleito deputado federal por cinco mandatos consecutivos. Não conseguiu se reeleger, porém, em 2006. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
COMISSÃO DA VERDADE DELFIM NETTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.