Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Delegar agenda do País ao presidente do Congresso é inadmissível, diz tucano

A afirmação do deputado Carlos Sampaio é uma resposta do PSDB à aproximação de Renan e Dilma e à apresentação de uma agenda feita nesta segunta pelo presidente do Senado

GUSTAVO PORTO, O Estado de S. Paulo

11 de agosto de 2015 | 20h10

Brasília - O líder tucano na Câmara, deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), informou, em nota, que a presidente Dilma Rousseff (PT) delegou ao presidente do Senado, Renan Calheiros, a responsabilidade de montar uma agenda para o País, fato que o parlamentar considerou "inadmissível". "Temos hoje uma presidente sem liderança, que terceirizou a economia para um economista; a articulação política para o seu vice, e agora delegou ao presidente do Congresso, Renan Calheiros, a responsabilidade de montar uma agenda para o País. Isso é inadmissível", relatou.

A afirmação é uma resposta dos tucanos à aproximação de Renan e Dilma e à apresentação de uma agenda feita nesta segunta pelo presidente do Senado. "A presidente Dilma está em seu segundo mandato, ela e seu partido foram os responsáveis por mergulhar o País numa crise econômica sem precedentes e ela ainda precisa recorrer ao presidente do Senado para apresentar uma pauta para o Brasil", criticou Sampaio.

Para o deputado, os efeitos da sinalização de Dilma a Renan devem seguir o mesmo caminho de outros e acabar "sendo atropelados e neutralizados por novos acontecimentos, sejam por revelações das investigações do ''petrolão'' ou por derrotas em votações no Congresso", afirmou. "No entanto, em relação à crise econômica, que se agrava a cada dia e que afeta diretamente a vida das pessoas, ela já demonstrou que não consegue resolver ou sequer minimizar", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
senadorenan calheirospsdb

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.