Delegado vai à júri por morte de assessor

O delegado Robervaldo Davino, ex-diretor-geral da Polícia Civil, vai à júri pelo assassinato do assessor parlamentar Cícero Sales Belém e de José Alfredo Raposo Tenório Filho, ocorrido em 2005, em Maceió. Davino foi citado com mais dois acusados. Segundo os autos, estariam a serviço do deputado Francisco Tenório (PMN-AL) e o crime teria sido "queima de arquivo", para impedir a descoberta de organização criminosa. Davino e Tenório negam ligação com o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.