Delegado pede quebra de sigilo bancário de Abel Pereira

O delegado Diógenes Curado Filho, encarregado do inquérito que apura o envolvimento do empresário Abel Pereira com a chamada máfia dos sanguessugas pediu nesta terça-feira a quebra do sigilo bancário do investigado. A assessoria de imprensa da Polícia Federal no Mato Grosso informou também que o delegado pediu à Justiça Federal a prorrogação do prazo para a conclusão do inquérito que apura o envolvimento do empresário da construção civil com a aprovação de emendas para a compra superfaturada de ambulâncias. Abel conhece Luiz Antônio Vedoin, dono da Planam, empresa pivô do escândalo, e é ligado ao atual prefeito de Piracicaba (SP), Barjas Negri, que foi ministro da Saúde no governo Fernando Henrique Cardoso. Abel nega que tenha recebido propina para negociar emendas de parlamentares no Ministério da Saúde na gestão Negri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.