Delegado fez 'uso indevido' da Abin, diz defesa de Dantas

O advogado Nélio Machado, que defende o sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas, criticou hoje o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz. O delegado admitiu ontem na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos, na Câmara, que agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) participaram da Operação Satiagraha, da PF, de maneira informal. "Ele usou a Abin de forma indevida, como se fosse uma ação entre amigos", criticou Machado. E completou: "Protógenes se esquivou de todas as indagações."O advogado de Dantas falou com a imprensa em frente ao prédio da 6ª Vara Criminal da Justiça Federal, em São Paulo, e prometeu questionar Protógenes sobre suas atitudes. "Quando ele vier à 6ª Vara como testemunha arrolada pelo Ministério Público, indagarei sobre várias ilegalidades da investigação que ele comandou", disse Machado. "Todas essas imperfeições, pendências e arbitrariedades serão questionadas para que venham explicações plausíveis."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.