Delegado diz que Olívio não autorizou Diógenes

O delegado Luís Fernando Tubino, ex-chefe de Polícia do Rio Grande do Sul, emitiu hoje uma nota de esclarecimento, negando que o governador Olívio Dutra (PT) tivesse avalizado a iniciativa do presidente do Clube de Seguros da Cidadania, Diógenes de Oliveira. "Nunca, em nenhum momento, o governador autorizou-me ou mesmo sugeriu que eu conversasse com Diógenes", diz a nota. Em 1999, Diógenes procurou o delegado e, dizendo falar em nome do governador, pediu que a polícia não reprimisse o jogo do bicho.Hoje, Tubino atribuiu o indiciamento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembléia Legislativa, por corrupção passiva, a uma retaliação do relator Vieira da Cunha (PDT). "Eu não disse o que o relator queria que fosse dito", afirmou o delegado na comunicação.A gravação da conversa entre Tubino e Oliveira foi entregue à CPI pelo ex-deputado Wilson Müller, que dizia representar uma "alta autoridade da segurança pública" - na realidade, o ex-chefe de polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.