Agência Senado
Agência Senado

Delação não atrapalha determinação de derrotar impeachment, diz líder do governo

Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), disse há pouco que a delação não atrapalha estratégia do governo de evitar saída da presidente

Carla Araújo, Brasília

15 de março de 2016 | 13h40

O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), disse há pouco que a delação do senador e ex-líder do governo Delcidio Amaral (PT-MS), que foi homologada hoje, não atrapalha a determinação do governo em derrotar o impeachment. "Já foi dito tanta coisa sobre delação, se vier mais não atrapalha em nada nossa determinação de derrotar 'esse morto vivo' que é o impeachment", disse, após reunião de líderes da base com o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini.

Guimarães disse ainda que ainda não leu a delação e que é preciso aguardar para que o governo se posicione sobre o conteúdo das declarações do senador. "Vamos pegar a delação, que foi homologada, aguardar a manifestação do governo. Eu ainda não li, mas na hora certa o governo se manifestará em relação a isso", disse.

 

O líder do governo disse ainda que tem algumas pessoas que "não se contêm" e fazem um "esforço" para que as denúncias atinjam a presidente Dilma Rousseff. "E estamos convencido que nada chega e não há nada contra ela", afirmou.

Lula 

Guimarães disse ainda que na reunião os líderes trataram sobre a possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumir uma pasta no governo Dilma e afirmou que essa decisão é exclusiva dos dois. "Se Lula vem ou não é problema da presidente e do Lula", afirmou.

O líder do governo disse que, após uma avaliação da conjuntura, os deputados da base se comprometeram a tentar acelerar o processo de impeachment. "Faremos tudo para que o rito do impeachment seja estabelecido nos termos do Supremo, vamos atuar para votar logo, pois (a demora) dificulta a retomada da economia", afirmou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava Jato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.