Definida comissão encarregada de buscas no Araguaia

A comissão formada no Ministério da Defesa para fazer uma operação de busca de ossadas de mortos na Guerrilha do Araguaia (1972-1975) foi definida ontem. Criada dois meses atrás e composta por 33 membros, a expectativa é a de que os trabalhos da comissão devem começar na quarta-feira. Apesar das queixas do ministro-chefe da Secretaria de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, insatisfeito com o fato de a operação ter ficado sob o comando do ministro Nelson Jobim (Defesa), ficou definido que a tarefa vai ser levada adiante.

AE, Agencia Estado

02 de julho de 2009 | 08h48

Vannuchi, Jobim e Lula se reuniram na segunda-feira para discutir o assunto. Jobim mostrou a Lula que a criação da comissão e o início dos trabalhos não é uma decisão de civis ou militares. ?Trata-se de cumprir uma decisão do Judiciário, que mandou o governo fazer uma busca das ossadas que existam nos locais onde se deu o conflito?, disse o ministro.

Os militares serão parte integrante do grupo de trabalho, mas, segundo Jobim, apenas para ajudar na logística e garantir que ?não será por falta de apoio que a operação vai deixar de cumprir a missão?. Os militares, acrescentou o ministro, ?não vão se envolver na procura de ossos ou promover qualquer tipo de interferência no processo de busca legal e independente?.

Para atender Vannuchi, que queria que a busca fosse feita por uma comissão liderada pela Secretaria de Direitos Humanos, ficou acertado que o grupo de trabalho contará também com uma espécie de ?comissão de supervisão?. Os nomes serão indicados pela secretaria. Lula entendeu que a logística militar preparada pelo Comando do Exército, apesar da discordância de Vannuchi, é fundamental para evitar que, mais uma vez, o governo vá para a região à procura de ossos e fracasse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Araguaiabuscaossadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.