''''Defesa tentará prolongar discussão''''

Para integrante da OAB, não interessa a Renan que o processo termine logo, pois assim estará sujeito a pressões da sociedade

Paulo Darcie, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2006 | 00h00

Entrevista com Everson Tobaruela, advogado O presidente da Comissão de Direito Político e Eleitoral da OAB, Everson Tobaruela, afirma que a aprovação do relatório que pede a cassação de Renan Calheiros pelo Conselho de Ética é um passo do processo democrático. Para ele, a defesa fará de tudo para protelar a decisão.Como o senhor avalia o resultado de 11 votos a favor e 4 contrários à proposta de cassação de Renan Calheiros (PMDB-AL)?Em um colegiado, as posições contrárias têm vários motivos. Um é o jogo de interesses políticos: amizades, acertos e apoios. Outro vem de uma exigência da sociedade que pode acabar usada contra ela: a fidelidade partidária. Nesse caso, é pesado para um senador votar contra sua legenda. Pode ser decisivo para sua carreira. As regras de apoio para as eleições do ano que vem já estão costuradas, ninguém quer brigar com o partido.É possível imaginar os rumos que a defesa de Renan vai tomar?É natural que ela tente prolongar a discussão. Terminar o processo com rapidez não interessa a ele, quanto mais rápido, maior será a influência da pressão popular, da imprensa e do calor do momento, que são desfavoráveis a ele. A defesa deve pedir perícias complementares à da PF para provar a inocência de Renan.O senhor acha que continuar na presidência do Senado é uma boa estratégia?Creio que o melhor para a composição de sua defesa seria o afastamento. Ele sairia do foco da discussão e a defesa teria mais espaço para trabalhar.Qual o ponto alto da sessão de ontem do Conselho de Ética?O senador Wellington Salgado (PMDB-MG) insinuou que a quebra de decoro parlamentar veio da relatoria do processo. Os defensores de Renan, quando defendem a qualquer custo sua inocência, estão agindo como pares que são. Não é concebível que uma defesa agrida uma posição contrária a sua. Isso é uma atitude que a sociedade tem que repudiar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.