Alan Santos/Planalto
Alan Santos/Planalto

Defesa reforça ação social e escolhe Michelle como madrinha de projeto

Primeira-dama não usou máscara facial no evento e posou para fotos com as crianças, todas protegidas

Vinícius Valfré, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2021 | 17h27

BRASÍLIA — O Ministério da Defesa está ampliando um projeto social que oferece atividades esportivas e pedagógicas para crianças em situação de vulnerabilidade social e que, até o início de 2022, será formalmente incluído no organograma da Escola Superior de Defesa (ESD), em Brasília. Na inauguração de mais uma etapa da expansão, a primeira-dama Michelle Bolsonaro foi escolhida, nesta quinta-feira, 25, como madrinha do Programa Forças no Esporte (Profesp).

Considerado o mais importante mecanismo de integração social das Forças Armadas, o Profesp foi implantado em 2003 e já atende 30,2 mil crianças em mais de duzentas unidades militares localizadas em 140 municípios. O presidente Jair Bolsonaro pretende alcançar 40 mil.

Um novo núcleo do projeto foi inaugurado nesta quinta, dentro do campus da ESD. A unidade, a 203ª, é a primeira ligada diretamente ao ministério, e não às três Forças. Ela começou a atender, em agosto, 147 crianças de 6 a 14 anos da Escola Classe Alto Interlagos, onde estudam meninos e meninas de uma região pobre do Distrito Federal. O governo distrital foi representado pela secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, e não pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). O ministro Walter Braga Netto também não compareceu.

A Escola Superior de Defesa foi oficialmente criada em 1º de outubro pelo presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo de aproximar militares do centro do poder. Está no lugar do campus de Brasília da Escola Superior de Guerra, com sede no Rio de Janeiro.

A elaboração do regimento interno e do organograma da ESD deve ser concluída na próxima semana. Entre outras coisas, os documentos deverão destacar o Profesp.

"Defesa vai muito além das Forças Armadas pura e simplesmente. Isso envolve obrigatoriamente a parcela civil da sociedade. E essa Escola nasce com essa vocação", disse o vice-Almirante Paulo Renato Rohwer, comandante da ESD.

Michelle Bolsonaro não usou máscara facial no evento e posou para fotos com as crianças, todas protegidas. A primeira-dama já é presidente do Conselho do Pátria Voluntária, criado para fomentar o voluntariado. Como mostrou o Estadão, o programa gastou mais com publicidade do que com doações.

"Nós, do Pátria Voluntária, estamos alinhados com os objetivos do Profesp para desenvolver projetos que vão além do assistencialismo", discursou Michelle.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.