REUTERS/Ueslei Marcelino
REUTERS/Ueslei Marcelino

Defesa prévia de Dilma no processo de impeachment será protocolada nesta quarta no Senado 

Esse é o prazo máximo para a entrega da defesa da presidente afastada; nova peça deve incluir áudio vazado de Jucá

Isabela Bonfim e Julia Lindner , O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2016 | 11h46

BRASÍLIA - A defesa prévia da presidente afastada Dilma Rousseff  no processo de impeachment deve ser protocolada nessa quarta-feira, 1, no Senado. Esse é o prazo máximo para a entrega da defesa. De acordo com a assessoria do advogado da presidente, José Eduardo Cardozo, o documento será protocolado por volta das 17h. Não se sabe ainda se o ex-advogado-geral da União virá pessoalmente ao Senado.

A nova defesa da presidente deve levantar lacunas do processo de admissibilidade do impeachment no Senado, além de incluir fatos políticos, como a gravação do senador Romero Jucá (PMDB-RR), em que ele fala em "trocar o governo" para "estancar a Lava Jato". A peça também deve apontar as perícias e pareceres desejados, além de indicar testemunhas para deporem na Comissão Especial do Impeachment.

A próxima reunião da comissão será na quinta-feira, 2, para votação do calendário de trabalho sugerido pelo relator Antonio Anastasia (PSDB-MG). O tucano apresentou um plano de ação mais curto do que o esperado, com duração de 90 dias. A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) apresentou uma proposta que pode encurtar ainda mais o processo. A sugestão será respondida pelo presidente do colegiado na próxima reunião. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.