Defesa fala em ''''espetáculo''''

Newley Amarilla, defensor de Zeca do PT, afirma que não existe "uma única prova, um único indício" contra o ex-governador do Mato Grosso do Sul. "O Ministério Público autoritário é um risco para o Estado democrático, promotores estão fazendo um espetáculo midiático, acusando um homem público que tem um nome a zelar", reage o advogado.Ele invoca manifestação recente do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que condenou o "processo espetáculo". O ministro apontou para promotores e procuradores. "Basta ver aí que algumas figuras tristes, de capacidade intelectual limitada, às vezes até duvidosa, ganham notoriedade nacional simplesmente porque anunciam denúncias sem consistência.""É exatamente esse o caso", compara Amarilla. "Promotores estão acusando, condenando e executando Zeca. As denúncias que eles apresentaram são flagrantemente ineptas. Além disso é manifesta a incompetência do Ministério Público para promover inquérito criminal."O advogado já conseguiu suspender liminarmente na Justiça a primeira acusação contra o ex-governador Zeca do PT.Por meio de habeas corpus, ele fulminou a base da acusação, que são os relatos da testemunha Ivanete Leite Martins - a ex-assessora da Secretaria de Coordenação-Geral de Governo.

O Estadao de S.Paulo

03 de novembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.