Defesa de Humberto Braz pede habeas-corpus no TRF

Suspeito de tentar subornar o delegado da Polícia Federal (PF) Vitor Hugo Alves Ferreira, Humberto Braz entrou hoje com um pedido de habeas-corpus no Tribunal Regional Federal da Terceira Região (TRF-3). Ele se entregou no domingo à Polícia Federal (PF), ficou detido no Centro de Detenção Provisória de Guarulhos e, na terça-feira, foi transferido para a cadeia de Tremembé. A solicitação já foi distribuída para a desembargadora Ramza Tartuce, mas não há previsão sobre quando ela será julgada.Ex-presidente da Brasil Telecom Participações, assessor e braço direito do sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, Braz está preso pela suspeita de ter oferecido US$ 1 milhão para excluir Dantas e seus familiares do inquérito da Operação Satiagraha, da PF. A operação foi deflagrada para desbaratar um suposto esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.Além de Braz, Hugo Chicaroni, que teria atuado em conjunto na tentativa de subornar o delegado, continua preso, mas na carceragem da PF. Eles foram os únicos que não foram beneficiados pela extensão do habeas-corpus concedido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, a Dantas, a seus familiares e a funcionários. Na terça-feira, orientado por seu advogado, Renato de Moraes, Braz manteve-se calado durante depoimento à PF sob a justificativa de não ter tido tempo suficiente para ler os autos do processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.