Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Defesa de Gleisi quer acesso aos vídeos das delações de Costa e Youssef

Senadora é investigada por supostamente ter recebido R$ 1 milhão do esquema para sua campanha em 2010; advogado quer acesso a material antes de depoimento da petista à Justiça

BEATRIZ BULLA E TALITA FERNANDES, O Estado de S. Paulo

19 de março de 2015 | 16h41

Brasília - A defesa da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso aos vídeos nos quais o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef fazem menção ao nome da parlamentar no processo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

Até agora, a defesa teve acesso à cópia do inquérito em que Gleisi é investigada, no qual constam os termos dos depoimentos de forma escrita, com narração do que foi dito pelos investigadores. Diante da notícia de que o STF liberou à imprensa nesta semana parte dos vídeos dos depoimentos, a defesa solicita ao Tribunal o acesso ao material audiovisual.

"Embora seja de extrema importância o acesso aos vídeos respectivos - até porque as referências à senadora Gleisi Hoffmann e ao ex-ministro Paulo Bernardo -, à defesa foi franqueada apenas a extração de cópias físicas dos autos", alega a advogada da senadora, Verônica Abdalla Sterman.

Em depoimento no âmbito da Lava Jato, Youssef disse ter repassado R$ 1 milhão para a campanha da petista em 2010 ao Senado. Segundo o doleiro, o valor foi entregue em um shopping em Curitiba (PR). Já Costa disse que, no início de 2010, Youssef o avisou que o ex-ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi, pediu um "auxílio financeiro" no valor de R$ 1 milhão para a campanha da petista.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o repasse é apontado também em anotação feita por Paulo Roberto Costa em uma agenda com descrição da propina paga a políticos.

A advogada de Gleisi pede que o material seja disponibilizado antes da data em que a investigada for chamada para depor. Caso não seja possível, a defesa solicita que sejam entregues ao menos os termos de depoimento que constam no inquérito da petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.